COMUNICADO TEATRO DAS BEIRAS

Apenas Justiça!

O Teatro das Beiras, ao longo dos seus 24 anos de Companhia profissional de Teatro, instituição de interesse público, durante muito tempo a única companhia de teatro profissional da Beira Interior, com um reconhecido papel na região, não só na promoção do teatro, mas nas outras áreas artísticas, nunca esteve perante uma situação de exclusão dos programas de apoio do Ministério da Cultura. Aconteceu agora no Apoio Sustentado 2018-2021, o que, a concretizar-se, porá em causa a sua continuidade. Mesmo nos tempos mais difíceis, em que os apoios reduziram drasticamente, o Teatro das Beiras sobreviveu, construindo uma programação digna do seu historial. 
Não é aceitável que a DGartes classifique como elegível a candidatura do Teatro das Beiras, considerando-a dentro dos padrões do concurso, e depois não lhe conceda apoio por alegada falta de verbas. 
A decisão que a DGartes tomou de excluir o Teatro das Beiras, assim como mais de uma dezena de outras companhias, de apoio para 2018/2021, configura uma grave discriminação territorial, que fere princípios de igualdade e de acesso à cultura. 
O Teatro das Beiras lembra que este tipo de decisões, podendo provocar a extinção de muitas estruturas, contraria a mais recente retórica dos responsáveis políticos, agravando assimetrias dentro do território nacional, parecendo assim que o programa de Apoio Sustentado visa não apoiar o Teatro, mas sim extingui-lo gradualmente.
Consideramos a decisão inaceitável, e, à semelhança de outras companhias, iremos recorrer dela para que se faça justiça.
O Teatro das Beiras subscreve a ideia da criação de uma plataforma que conteste o processo de atribuição das verbas plurianuais, que consideramos estar a destruir o setor, reclamando uma reunião com o primeiro-ministro.
Juntamos a nossa voz ao clamor de protestos das várias companhias de Teatro, financiadas ou não, atores e criadores presentes na reunião realizada no CAL no sábado passado e reafirmamos a importância da unidade de todos em defesa do Teatro. 
Esperamos que, face à contestação, a situação de todas as estruturas não financiadas seja solucionada
O Teatro das Beiras apenas espera justiça e que a controversa decisão da DGartes não ponha um ponto final na sua existência.

Covilhã, 02 de Abril de 2018